sábado, 17 de novembro de 2012

desta vez a desgraça do noticiário foi muito próxima.

  Muito pior,muito dolorida.Acontece todo dia e toda hora,mas quando é com pesoas próximas,quase inacreditável.Em 2003 foi o acidente do meu irmão bombeiro - ele escapou,os companheiros não.Agora,uma desgraça e que arrancou um pedaço da família que jamais pensaria perder,não assim,nem neste momento e nem da maneira como aconteceu.Um menino - pra mim,apesar dos seus 31 anos,sua mãe - minha prima querida;a esposa  e a sogra dele e o bebê que só quem morava perto chegou a conhecer.Como não há explicação,veio na minha cabeça um anjinho,que passou pra levar seus pais e as avós para ficar junto a ele em um lugar melhor.Silvinho foi quase pai dos irmãos apesar da pouca diferença de idade e,ontem fui ao velório pra tentar acreditar.Entender,racionalmente,não consigo.

 Aqui,com sua farda branca de oficial,em seu casamento,com os irmãos e a mâe,minha prima linda e seu sorriso,sua bondade,sua alegria
Eu e "os meninos da Inês" na casa da minha mãe,há muitos anos atrás - a data é da cópia e não do original da foto


 E o noticiário:


Acidente deixa cinco mortos em Barra do Piraí


Família, que estava em um Siena, era de São Paulo e caiu em rio após batida fatal


POR HELVIO LESSA

Rio -  Um acidente envolvendo dois carros deixou cinco pessoas mortas na manhã desta quinta-feira, na BR-393 (Rodovia Lúcio Meira), em Barra do Piraí, no Sul Fluminense. Um dos carros capotou e caiu dentro Rio Paraíba do Sul. Segundo informações da assessoria da Polícia Rodoviária Federal, existe a possibilidade de que o grupo tenha morrido afogado. Mas a confirmação só será feita após sair o laudo do IML.

Todos as vítimas fatais estavam no mesmo carro e eram da mesma família. Silvio Tito Camilo Gurgel, a mulher dele, Aline Assis Camilo, 25 anos, o filho do casal,  Luca  Assis Camilo,  de dois meses,  a mãe do bombeiro, Maria Inês Camilo gurgel, 61,  e a sogra dele, Silvina de Assis Neto, 66. No outro carro, viajava um casal. O motorista foi socorrido com ferimentos leves. A mulher nada sofreu.

A colisão ocorreu por volta das 5h40. O Siena prata com placa da cidade de Mogi das Cruzes, em São Paulo, onde estava a família, seguia no sentido Volta Redonda-Vassouras. Possivelmente saíram de Barra Mansa, onde uma das vítimas morava. E o Fiat Fiorino Branco, com placa da cidade de Maripá de Minas, na Zona da Mata mineira, ia em direção à Volta Redonda, quando colidiram, na altura do Km 250.

Segundo os policiais rodoviários, a colisão entre os carros foi frontal, mas não teria sido muito forte. No entanto, o Siena perdeu a direção, rodou na pista, capotou e saiu da estrada, caindo no Rio Paraíba do Sul. As rodas do veículo ficaram para cima e parte do teto ficou submerso, o que poderia ter causado o afogamento. O Fiorino, que não levava carga, permaneceu na estrada.

O motorista do Fiorino foi levado com escoriações para para a Hospital da Santa Casa de Barra do Piraí, onde foi atendido. As investigações sobre as causas do acidente ficarão por conta da 88ª DP (Barra do Piraí), onde a ocorrência foi registrada. 

 

 

 


QUI, 15 DE NOVEMBRO DE 2012 17:36

 

 

Um acidente com dois carros deixou cinco mortos na Rodovia Lúcio Meira, em Barra do Piraí, na Região Sul Fluminense, na manhã desta quinta-feira (15). Todos eram da mesma família. Entre as vítimas estava o tenente do Corpo de Bombeiros de Mogi das Cruzes, Sílvio Camilo Gurgel, de 31 anos, mais conhecido como tenente Tito.

 

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), um carro com quatro adultos e uma criança bateu de frente em outro veículo e, em seguida, caiu no Rio Paraíba do Sul.

Ainda de acordo com a PRF, as vítimas morreram na hora. Os corpos de Salvina Assis Beta, de 65 anos, Maria Inês Batista Gurgel, de 61, Sílvio Camilo Gurgel, Aline Assis Silva Camilo, de 25 e de Lucas Assis da Silva Camilo, de 2 meses, estão no IML de Barra do Piraí.  O motorista do outro carro, Fábio Junior da Silva, 26 anos, está internado na Santa Casa de Barra do Piraí. Janaína Dornelas da Silva, que estava no carona, não ficou ferida.

Sílvio Camilo Gurgel trabalhava como tenente do Corpo de Bombeiros de Mogi das Cruzes desde 2009. Natural em Ferraz de Vasconcelos, ele já havia servido a Polícia Militar da Região.

16/11/2012 20h15 - Atualizado em 16/11/2012 20h59

'Bombeiros de Mogi estão em luto', diz oficial da corporação


Missa realizada durante o velório emocionou familiares e amigos. 
Tenente Tito e 4 pessoas da família morreram em um acidente no RJ.


Carolina PaesDo G1 Mogi das Cruzes e Suzano

 
O movimento de pessoas no velório do tenente Silvio Tito Camilo Gurgel, de 31 anos, e da família, foi intenso durante todo o dia, no Centro de Iniciação Profissional, o CIP.

Boa parte dos amigos, familiares e colegas de profissão não consegiu segurar as lágrimas ao prestar a última homenagem ao oficial. "Perdi um irmão mais novo que me dava conselho. A região fica também sem um grande profissional.", diz emocionado o tenente Valdinei Canas Kempe, que era amigo de Tito desde a Academia de Polícia.

A morte repentina do tenente e de mais 4 integrantes da família abalou não só os colegas de trabalho, mas também bombeiros de outras cidades. Profissionais de Guarulhos, da Capital, e policiais miliatres da região do Alto Tietê, fizeram questão de ir ao velório do oficial.

Os corpos do tenente Silvio Tito Camilo Gurgel, de 31 anos, da esposa Aline Assis Silva Camilo, de 25 anos, da mãe Maria Inês Batista Gurgel, de 65 anos, da sogra Silvina de Assis Neto, de 66 anos, e do filho Lucas Assis da Silva, de 2 meses, são velados no Centro de Iniciação Profissional, o CIP, de Mogi das Cruzes, desde o meio-dia desta sexta-feira (16).

A missa de corpo presente realizada no CIP reuniu cerca de 500 pessoas. Durante toda a celebração os caixões foram abraçados pelos visitantes. O depoimento do pai de Aline, esposa do Tenente Tito, que também morreu no acidente, foi o momento mais emocionante da celebração. "É um momento muito dificil para a nossa família. Minha filha estava muito feliz com o bebezinho", diz pai da jovem, Antonio da Silva.

Aline, de 25 anos, era a caçula de 5 filhos, já o tenente era o filho mais velho.  " O Tito era como um pai para os irmãos. A família toda está inconsolável.", conta o primo Guilherme Prado. Tito tinha dois irmãos.

Na tarde desta quinta-feira (15), dia do acidente, um grupo de bombeiros de Mogi das Cruzes viajou para o Rio de Janeiro para tratar da liberação dos corpos. O tenente Reinaldo de Almeida foi um dos 4 oficiais que deram suporte a família e foram até o local do acidente.

Pela amizade que tinha com o tenente Tito, ele fez questão de apoiar a família. "Os bombeiros de Mogi estão em luto. Fiquei baqueado com a notícia, mas quis ir ajudar.  A informação que temos é que o motorista do outro carro convulsionou no volante, e por isso teria perdido a direção antes de bater no veículo da família de Tito.", diz Almeida.

Fábio Junior da Silva, de 26 anos, que dirigia o carro continua internado na Santa Casa do município de Barra do Piraí. Janaína Dornelas da Silva, que viajava com o rapaz teve ferimentos leves.

Acidente
De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal, o carro do tenente teria batido de frente com outro veículo na Rodovia Lúcio Meira, em Barra do Piraí, RJ. Um veículo invadiu a pista contrária e acertou o automóvel do oficial, onde ele viajava com a família. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, após a colisão, o veículo caiu no Rio Paraíba do Sul.

A causa da morte das vítimas teria sido afogamento. A família tinha chegado na região de Barra Mansa, no Rio de Janeiro, na noite de quarta-feira (14). Eles ficaram na casa de uma tia-avó do tenente. No dia seguinte, eles pegaram a estrada de novo. O grupo seguiria para o Estado de Minas Gerais. Tito iria levar o filho, de dois meses, para que a bisavó o conhecesse.

Histórico
O tenente Tito entrou na Polícia Militar após cursar a Academia do Barro Branco em 2004. Ele trabalhou em Suzano e em Mogi das Cruzes, na região Metropolitana de São Paulo. Na sequência fez o curso de oficial para o Corpo de Bombeiros e trabalhou um ano em Barueri. Em 2009, voltou para Mogi das Cruzes, onde estava lotado no 17º Grupamento do Corpo de Bombeiros do município. O tenente trabalhava no setor de atividades técnicas. O tenente era primo do ex-comandante geral da polícia militar do Estado de São Paulo, Álvaro Camilo.

 

 
Ele e seu filho.



5 comentários:

  1. Meus sentimentos , mais nada posso lhe dizer! Bjs Nina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada minha querida.Todo sentimento já ajuda muito,o negócio tá ruim,bjs

      Excluir
  2. Sou de Barra do Piraí, a cidade está chocada e comovida com esse acidente. Que Deus dê conforto a vcs!

    ResponderExcluir
  3. Eles eram meus primos fui criada junto com eles, sentirei muita saudade da Inês do Silvio, da Aline, da Salvina e do Lucas. Deus os acompanhe sigam em Paz.

    ResponderExcluir