quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

#88 Sinatra,o chefão,James Kaplan




Acabei o primeiro volume que vai até o ponto da virada da carreira do homem,quando ele volta ao sucesso e passa a ser ator/cantor novamente respeitado.Este segundo volume dá novamente uma panorâmica sobre este reinício e o trabalho com o arranjador Nelson Riddle.Vamos ver se é de leitura tão fluída quanto o primeiro(é um tijolão com quase o dobro de páginas,sendo que o primeiro já era bem grandinho)quero terminar até o final do ano.

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

#87 A sombra do Vento,Carlos Ruiz Zafon




Muita gente pelo Booktube elogia demais este livro,mas eu tenho a impressão que agrada muito a jovens leitores,as pessoa mais passadinhas já não curtem tanto,não sei,vou conferir - e ler mais um dos meus inúmeros e-books que estão me esperando no Kindle(minha segunda biblioteca).

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

#86 La Devineresse,Jean d'Aillon(releitura)

LA DEVINERESSE (Les aventures de Trois-Sueurs) par [d'Aillon, Jean]


Tava com vontade de ler algo em francês,mas queria algo leve e fluído daí escolhi este e-book que já li,mas do qual não lembro nada,mas como é d'Aillon,sei que vou gostar.

sábado, 1 de dezembro de 2018

E então...



Minhas leituras estão caminhando:

O Nova reunião,23 livros,Carlos Drummond de Andrade(que eu comecei nem sei quando),estou pelos 50%, é um pouquinho por dia - e no kindle não está sendo a forma ideal para poesia,quebra a estética da página,os poemas ficam meio grudados uns nos outros,fica esquisito às vezes.Mas do conteúdo,tudo de bom.E é imenso,acho que ainda continuarei com ele por um bom tempo.

Do Bom soldado Svejk não é exatamente "divertido" como prometido na sinopse,ou eu não embarquei no rítmo dele,sei lá.Me fez perceber o quanto não sei sobre como era o Império Austro-Húngaro;durante o texto há referências a alemães,tchecos,húngaros,austríacos,à Boêmia,Moldávia,e mais não sei quantos lugares e grupos étnicos,todos no mesmo barco,"a guerra" contra a Inglaterra; muita ironia quanto aos militares e o papel do Svejk é meio de bufão.Também já passei da metade,está numa parte meio nonsense,espero que flua melhor e que não vire o "samba do tcheco doido",já me basta de texto pirado o Obsceno Pássaro que li na primeira metade do ano.

E o Frank,a voz,muito gostoso de acompanhar sua vida.É bem detalhado,já chegou na parte dos anos depois da Segunda Guerra e ele já fez sucesso em musicais no cinema.Interessantíssima a posição do autor quanto a "dificuldade" da personalidade do Sinatra,talento à parte ,e também sobre seu envolvimento com mafiosos(não demoniza a coisa,mas não evita de colocar os pingos nos is) e seu comportamento.E não,"ter sucesso" não é exatamente viver num  mundo cor-de-rosa;e está próximo de acontecer o "caso Ava Gardner",que joga o moço literalmente no chão(mesmo sendo uma história que já conheço,quero ver como o autor vai colocar os detalhes).



 Não sei se farei o Desafio Livrada! novamente,mas o projeto de ler o Dostoievski em ordem cronológica com certeza vou continuar.E por falar nisso,ontem dei uma arrumada em alguns livros e coloquei os "russos" juntos - tenho Turgueniev,Tchecov(vários),Babel,Bunin,Gogol,Gorki,muitos livros de contos,fora os Dostô e os Tolstói(metade em livros físicos e o resto no Kindle).Penso em ler um por mês,são livros fininhos,dá pra fazer junto com o outro projeto.

Minhas leituras vão sempre se encaixando/encadeando,nunca fico de ressaca literária ou  sem saco pra ler,por isso não vou estabelecer metas para o ano que vem,não quero obrigações com nada,a não ser,ir variando sempre as leituras e misturando os clássicos com coisas mais recentes.Nem minha TBRbox(se não sabe o que é procure o post em que explico) eu precisei usar,os livros vão se "chamando".Tá,não variei tanto de continente,os europeus continuam maioria dos lidos,mas li latino americanos e africanos também.Não é uma coisa que me preocupe,"ler mulheres/negros/minorias".Quero livros bons,que me envolvam e não,não consigo abandonar leituras,tenho que saber onde vai dar,isto não muda.

E tenho sempre o dilema entre querer reler e ter medo de não sobrar tempo para ler os novos.Muito
livro e pouca vida pra ler tudo!



PS:Lembrei ainda dos meus livros sobre a Primeira Guerra,tá certo,tem muitos ainda sobre a Segunda,mas eu quero "desatrasar este tema" e depois ir alternando entre eles.

domingo, 25 de novembro de 2018

#85 Frank Sinatra, a voz James Kaplan


Das minhas compras da esquenta e da Black Friday fiquei absolutamente encantada quando este conjunto de livros sobre o Sinatra chegou - comprei porque estava metade do preço e por ser em dois volumes,ou seja nada resumida como uma que tenho há anos e porque eu gosto demais do Sinatra(do que conheço até  os anos 60.Os filmes da década de 40 eu adoro) do pouco que sei sobre a sua vida,dos altos e baixos,dele ter conseguido ter se reinventado e do talento inegável. É uma figura muito século vinte,marcante.
Primeira surpresa,o tamanho dos livros:o menor tem mais de 600 páginas!!!!O outro mais de 1000!!!
E pelo que já  li,super detalhada e embasada(muitas notas de fim de livro),muitas fotos,texto fluído e gostoso de ler.
Queria uma não ficção, mas não queria nada teórico,e consegui uma leitura muito gostosa - e que vai me acompanhar por bastante tempo.

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

#84 As aventuras do bom soldado Svejk,Jaroslav Hasek



E agora vamos de literatura tcheca,do começo do séc XX,falando sobre a Primeira Guerra.Muito humor e diversão são as promessas da sinopse,veremos.

PS:estou com vontade de ler vários livros que tenho por aqui que tratam da Primeira Guerra,quero ver se são tão envolventes quanto os sobre a Segunda,que me é mais conhecida.

terça-feira, 20 de novembro de 2018

#83 Alves&Cia. ,Eça de Queiróz

Que delícia de texto,leitura de uma sentada.E um anti-Bentinho.Sim,aqui houve flagrante,mas houve saudade e perdão.Um desejo de uma "vidinha burguesa",calma e sossegada.Pode não  parecer atraente,mas como leitura,flui bem demais.E eu não  sabia,mas foi publicado postumamente e há  diferentes textos publicados.Nesta edição da Grua(da coleção  A arte da novela) usaram uma versão  "sem cortes" - porque certamente escandalizou a época. BEM Eça.E nossa,eras que não  o lia,um dos melhores escritores,sempre.

domingo, 18 de novembro de 2018

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

#81 Maravilhas do conto alemão,vários autores




Terminada (à força) a Bíblia da Humanidade(só "aproveitei" um pouco Grécia/Roma e Egito,mas mesmo assim...)peguei este livrinho combalido(consegui em troca no Skoob,a edição é de 1958,bem marcadinha pelo tempo) e já li uns quatro contos de escritores que não conhecia,querendo chegar logo nos do Kafka e do Thomas Mann,já que os outros foram apenas OK,nada marcantes.Leitura para limpar o dial e "esvaziar" a cabeça.

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

#80 Ah!Como era boa a ditadura,Luiz Gê

Eu já  era grandinha no início da década de 80,aluna de Magistério  -fiz 18 em 82,cursinho e vestibular em 83 e faculdade em 84;emprego logo em seguida em 85,então muita coisa mostrada no livro  foi também  vivida.O desastre que era a economia,os perrengues pra se fazer qualquer coisa,era uma vida bem apertada(tem quem não goste de lembrar,mas as coisas só melhoraram depois do Plano Real,década de 90).Lembro dos políticos,tanto que foi fácil reconhecê-los nas charges:os generais(tive até álbum de figurinha com eles quando era pequena,misturavam tudo eles e jogadores da seleção, lavagem cerebral era ampla),Maluf,Sarney e a corja dos ministros.Pra quem não  viveu a época é um bom lembrete do que não anda pra frente neste país,do que pode voltar a acontecer.
Muito bom pra não querer saber mais disso de jeito nenhum.As viúvas da ditadura que me perdoem mas SOCORRO!Nunca mais,nunca!