quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Atemporal

      Leio, agora em francês ,um dos melhores livros a que tive acesso,Mémoires d'Hadrien - Memórias de Adriano que, mais que falar de um homem que fortificou as fronteiras do  Império Romano no meio do séc. II,era culto,genioso.É uma narrativa maravilhosamente bem escrita,feita por uma mulher que teve uma "educação clássica" - coisa que o séc XX baniu  e que talvez,  agora no XXI,fuja da compreensão da maioria das pessoas.Segundo a crítica,ela colocou muito dela mesma no perfil que fez.Não interessa:me marcou muito quando o li,mais de vinte anos atrás e agora,na língua original,melhor ainda.Fica a dica,bjs!





Marguerite Yourcenar


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
       Marguerite Yourcenar, pseudônimo de Marguerite Cleenewerck de Crayencour (anagrama de Yourcenar) (Bruxelas, 8 de Junho de 1903Mount Desert Island, Maine, EUA, 17 de Dezembro de 1987), foi uma escritora belga de língua francesa. Foi a primeira mulher eleita à Academia Francesa de Letras em 1980, após uma campanha e apoio activos de Jean d'Ormesson, que escreveu o discurso de sua admissão.
Foi educada de forma privada e de maneira excepcional: lia Jean Racine com oito anos de idade, e seu pai ensinou-lhe o latim aos oito anos e grego aos doze.
Em 1939 mudou-se para os Estados Unidos, onde passou o resto de sua vida, obtendo a cidadania estado-unidense em 1947 e ensinando literatura francesa até 1949.
As suas Mémoires d´Hadrien (Memórias de Adriano), de 1951, tornaram-na internacionalmente conhecida. Este sucesso seria confirmado com L'Œuvre au Noir (A Obra em Negro, 1968), uma biografia de um herói do século XVI, chamado Zénon, atraído pelo hermetismo e a ciência. Publicou ainda poemas, ensaios (Sous bénéfice d'inventaire, 1978) e memórias (Archives du Nord, 1977), manifestando uma atracção pela Grécia e pelo misticismo oriental patente em trabalhos como Mishima ou La vision du vide (1981) e Comme l´eau qui coule (1982).
 
 
 
 
 
 

Adriano,no   Louvre
 
Antinoo,seu grande amor - sim naquele mundo "esposas" eram uma coisa,sentimento era entre "iguais"(status social&existencial)
 
 
PS:um dos locais mais lindos que podem ser visitados na Itália, é a Villa Adriana,ruínas de uma das casas do imperador, que passou doze dos seus mais ou menos vinte anos de reinado,viajando pelas províncias,construindo ,estabelecendo os limites.
 
PS²:as ruínas do Muro de Adriano na Inglaterra também existem,19 séculos depois - entre os mais famosos.

3 comentários:

  1. Interessante,pensei que o amor entre iguais fosse só na Grécia! Mas estava enganada, entre os romanos também! Obrigada pela informação e pela biografia da escritora!bjs Nina

    ResponderExcluir
  2. Não é um livro, é uma obra.
    Uma obra maravilhosa a cada página.
    Li em português, fico imaginando seu sabor, em francês.
    bjs, Cris

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maravilhoso,consegue ficar melhor Cris.Bjs

      Excluir